Páginas

21.5.09

Embriaguem-se



É preciso estar sempre embriagado. 
Aí está: eis a única questão.
Para não sentirem o fardo horrível do Tempo que verga e inclina para a terra,
é preciso que se embriaguem sem descanso.
Com quê?
Com vinho, poesia ou virtude, a escolher.
Mas embriaguem-se.
E se, porventura, nos degraus de um palácio,
sobre a relva verde de um fosso,
na solidão morna do quarto,
a embriaguez diminuir ou desaparecer quando você acordar,
pergunte ao vento,
à vaga,
à estrela,
ao pássaro,
ao relógio,
a tudo que flui,
a tudo que geme,
a tudo que gira,
a tudo que canta,
a tudo que fala,
pergunte que horas são;
e o vento,
a vaga,
a estrela,
o pássaro,
o relógio responderão:
"É hora de embriagar-se!
Para não serem os escravos martirizados do Tempo, embriaguem-se;
embriaguem-se sem descanso".
Com vinho, poesia ou virtude, a escolher.

Charles Baudelaire

6 comentários:

Anônimo disse...

Embriagarei minh'alma, meu espírito, meu coração!
Estarei sempre pronta a embriaguez!!!

Jonathan disse...

Tanto quero o pão quanto o vinho, realidade e fantasia, é disso que o ser humano vive.

Ricardo Pato disse...

Mtu bom o texto!!!

Baudelaire consegue passar ambiguidade de sua epóca com problemas com o alcool....e ao mesmo tempo metaforizando sobre a vida!!!

Boa escolha !!!


Brazz

JOão disse...

Brilhante! Mas que autor excelente esse.
UHmm... e eu?
Acho que me embriago de poesia. É melhor pQ não causa a ressaca do vinho, nem o moralismo da virtude.

Mr. Britto disse...

Embriagar a alma e o coracão é uma ascenção de espirito.

ótimo! e bom pra aqueles dias de baixa moral.

Clecia Nunes disse...

... vou embriagar-me nos dias de dias de embriaguez...


mto bom...