Páginas

27.12.10

PAIXÃO PASTEURIZADA



Coloquei no meu perfil  que meu lado emocional é como um cavalo selvagem.

Respondam-me: Tem coisa mais linda do que um cavalo selvagem? Correndo pelas pradarias, livre e feliz!

Mas creio que não sou a única.  Penso que somos todos assim.  Porém temos tentado domar esse cavalo selvagem. Temos tentado domesticá-lo

Eu pelo menos tenho visto muitas pessoas empenhadas em não se permitir. Geralmente são pessoas machucadas.  Ou seria pura covardia e egoismo? Não sei.

O que acontece é que acabamos pasteurizando os nossos sentimentos por medo de sofrer.

Acabamos entrando numa relação preparados  psicologicamente para não perder o domínio da situação, principalmente  quando "o final" chegar.

Contudo tenho para mim que "o durante" não será mais a mesma coisa.  Vai ter gostinho de suco artificial e não gostinho de fruta no pé.

Mas quem liga? Muita gente sequer sabe como é o gosto da fruta no pé!

Talvez seja esse o controle equilíbrio tão venerado e desejado por todos.

Uma paixão sem aqueles germes "horríveis" que causam taquicardia, bambeira nas pernas, calor, alteração involuntária em algumas partes do corpo, mãos frias, boca seca, desejo incontrolável, ânsia juvenil de beijar aquela boca, de abraçar e ser abraçado, de estar perto, de estar dentro um do outro, prazer.

Afinal, quem gosta de sentir essas coisas?

É perigoso nos sentirmos vivos demais, afinal a gente vai morrer mesmo um dia.

Melhor viver uma vida morna, uma paixão morna, um equilíbrio que nos garanta proteção contra emoções fortes demais.Vamos plastificar as emoções.

Depois, hoje em dia temos várias opções bem mais seguras emocionalmente:

No lugar da troca de olhares apaixonados, palavras de amor, beijos inebriantes, tesão descontrolado etc. a gente compra na farmácia uma caixinha da "pílula da felicidade".

No lugar daquela noite caliente nos braços do ser amado, fazendo amor até desfalecerem um nos braços do outro, a gente pode malhar até a exaustão na academia para liberar serotonina. Vai suar e queimar muitas calorias, do mesmo jeito.

E olha que beleza, a páscoa está chegando, e chocolate é um maravilhoso compensador de falta de prazer. Toneladas de chocolate.

Uma vida bege, igual aqueles comerciais de margarina. Perfeito, não é mesmo?

Perfeito?


by Branca

9 comentários:

Macaco Pipi disse...

acho melhor mesmo viver algo intenso...mesmo que seja curto! :D

KGeo disse...

eu tenho outra resposta para o que é coisa mais bonita desse mundo

PerpLife disse...

Melhor fazer da vida uma série de coisas intensas mas de tempo curto, do que viver eternamente na monotonicidade.
Abraço
perlusion.blogspot.com

Luiza VanWyngarden . disse...

Não poderia ter feito uma metáfora melhor. Acho que todos nós nascemos como cavalos selvagens, e devido a pressão interna ou da sociedade, vamos tentando nos domar e viver uma vida inalcançavel.
Desculpa se viajei HAHAHA, tenho tendência a fazer isso depois de ler um post que nos faz pensar.

Vou seguir, se puder seguir também eu agradeceria.

http://iamsohipster.blogspot.com/

Hozana Rodrigues disse...

Muito boa a sua comparação.
"Cavalos selvagens"
Como você disse. Cada um de nós podemos nos comparar com eles.
Parabéns pelo post.
Você escreve muito bem

Nathacha disse...

No momento estou te segindo apenas,mas prometo voltar em breve para comentar suas postagens! poderia seguir o meu? asim criamos um vinculo que facilite na divulgação de ambos os blogs!
http://medicinepractises.blogspot.com/

Nero disse...

Obrigado por passar no meu blog =]

Vim cá dar uma olhada no seu e achei excelente, curti muito o texto, botei pra te seguir. Meu pai também já se foi, mas foi antes de eu começar a manter registros... Ainda lembro da insegurança dele pra falar, achava que era bate-papo, ficava colocando o meu nome toda hora como se tivesse mais gente lendo e ele quisesse falar só comigo... Ai, saudades =/

Quanto ao seu texto, me emocionou também. Tô com esse problema, medo de soltar o meu cavalo, medo de me arriscar. Quem não arrisca não se ferra, mas também não se dá bem. Cansei de ficar no morno.

Abraço!

Entropia Brasileira disse...

Muito singelo e de bom gosto o seu blog, podemos sentir um pouco da sua sensibilidade, prometo outras visitas, vou te seguir!

Zainer Araujo disse...

"A vida nao tem que ser perfeita, mas tem quer...Delicia!" acho que tinha um comecial assim...bom, como um legitimo sagitariano minha parte "cavalo selvagem" precisa constantemente de frios na barriga e vento no rosto, como nem sempre e possivel agradeco quem inventou
os esportes radicais, no meu caso que ja sou um titio de 40, isso significa algumas parcas pedaladas por sampa.